Disciplina: Tópicos Especiais: Geomorfologia Fluvial: Processos e Dinâmicas

Carga Horária: 60 horas - Número de créditos: 4

Ementa: 

A relação ciclo hidrológico e o processos modeladores do relevo. Geomorfologia Fluvial: Conceitos; Abordagem sistêmica e a teoria do Equilíbrio dinâmico. O rio como nível de base da erosão superficial. Padrões de drenagem e as relações com a tipologia morfoestrutura. Análise morfométrica e o perfil longitudinal dos cursos de água. Processos hidrossedimentológicos, erosão hídrica e produção de sedimentos.


OBJETIVOS

Objetivo Geral
• Reconhecer a dinâmica fluvial de climas tropicais e os processos de modelado do relevo dela decorrentes

Objetivos Específicos
• Identificar a relação rio e os condicionantes físico-naturais na organização das paisagens
• Discutir a importância dos dados morfométricos na análise da dinâmica dos processos fluvial
• Problematizar a interferência antrópica nos processos hidrossedimentológicos em rios de  2 e 3ª ordem (Strahler,1951)
• Interagir com novas ideias e tecnologias aplicadas à Geomorfologia Fluviais voltadas à gestão do território.


REFERÊNCIAS

CHOW, V.T.; MAIDMENT, D.R.; MAYS, L.W. Applied Hydrology, McGraw-Hill, New York, 570 pp., 1988.

HAAN, C. T.; BARFIELD, B. J.; HAYES, J. C. Design Hydrology and Sedimentology for Small Catchments. Academic Press, San Diego, Ca., 1995.

FERNANDEZ, O. V. Q. Mudanças no canal fluvial do rio Paraná e processos de erosão das margens da região de Porto Rico, PR. Dissertação de Mestrado - Instituto de Geociências e Ciências Exatas – Universidade Estadual de São Paulo/UNESP, Rio Claro 1990. 86 p.

KNIGHTON, D. Fluvial Forms and Processes. ED. Edward Arnold. Senior Lecturer in Geography University of Sheffield, 1984. 218 p.  LANA, C. E. & CASTRO, P. T. A. Respostas da rede de drenagem à heterogeneidade geológica em bacias hidrográficas: uma comparação entre as bacias do Alto Rio das Velhas e Jequitaí – MG. VI SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA, Goiânia, 2006. Anais em CD-Rom.

MAGALHÃES JR, A. P. & SAADI, A. Ritmos da dinâmica fluvial neocenozôica controlados por soerguimentos regionais e falhamento: o vale do Rio das Velhas na região de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Geonomos. vol. 2 n. 1, 1994. p. 42-54.  PETTS, G. E. & FOSTER, D. L. Rivers and Landscape. ED. Edward Arnold, 1985. 274p.

RHOADS, B.L & THORN, C.E. Geomorphology as science: the role of theory. In: Geomorphology, 6 (1993) 287-307). Elsevier Science Pub. B. V. Amsterdam, _______.

SUGUIO, K. & BIGARELLA, J.J. Ambientes Fluviais. Editora UFPR, 1980. 183 p. 9.

TUCCI, C. E. M. Hidrologia: ciência e aplicação. 3.ed. Porto Alegre : Editora da UFRGS / ABRH, 2002. 943p.

TUCCI, C.E.M. Modelos Hidrológicos, Rio Grande do Sul, 2ª ed., UFRGS, 2005.