Disciplina: Tópicos Especiais: Trilhas e Monitoramento de Impactos de Visitação

Carga Horária: 60 horas - Número de créditos: 4

Ementa: 

Planejamento de Trilhas. Trilhas interpretativas. Impactos do Turismo em áreas naturais.  Monitoramento de Impactos de visitação. 


OBJETIVOS

Objetivo Geral
• Reconhecer a importância do planejamento do Turismo em Áreas Naturais, no que diz respeito ao planejamento de trilhas e o monitoramento de impactos de visitação;

Objetivos Específicos
• Perceber aspectos referentes ao planejamento de trilhas em áreas naturais.
• Compreender aspectos ligados ás trilhas e a Interpretação Ambiental no que diz respeito aos seus conceitos, princípios e características;
• Reconhecer metodologias de monitoramento de impactos de visitação;


BIBLIOGRAFIA

ICMBio. Roteiro metodológico para manejo de impactos da visitação. Brasília, 2011.

MOREIRA, J. C. Geoturismo e Interpretação Ambiental. Ponta Grossa: Editora da UEPG, 2011.
SMA/FF. Manual de Monitoramento e Gestão dos Impactos da Visitação em Unidades de Conservação. Governo do Estado de São Paulo: Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo, 2011.

TILDEN, F. 1957. Interpreting Our Heritage, The University of North Carolina Press, Chapel Hill.

BURNS, R., MOREIRA, J. C. Visitor Management in Brazil’s Protected Areas: Benchmarking for Best Practices in Resource Management. The George Wright Forum. , v.30, p.163 - 170, 2013.

LEUNG, Y.-F., NEWBURGER, T., JONES, M., KUHN, B., & WOIDESKI, B. (2011). Developing a monitoring protocol for visitor-created informal trails in Yosemite National Park. Environmental Management, 47, 93-106.

MELO, M.S; MORO, R. S. Patrimônio Natural dos Campos Gerais. Ponta Grossa: Editora da UEPG. 2007. 

OMT.  Guia de desenvolvimento do Turismo Sustentável / Organização Mundial do Turismo. Porto Alegre: Bookman, 2003.

ROCHA, L. M. e ANDRADE, V. J. Manuais para capacitação em manejo de Unidades de Conservação: Módulo 8 – Planejamento, Implantação e Manutenção de trilhas interpretativas. São Paulo: Sociedade Educativa Gaia, 1997.

WTO / UNEP. Guidelines: Development of National Parks and protected areas for tourism. UNEP-IE/PAC Technical Report Series nº 13.Madrid: WTO/UNEP joint publication, 1994.

WWF. Uso recreativo no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha: um exemplo de planejamento e implementação. WWF Brasil, Vol 8, 2001.

WWF. Manual de Ecoturismo de Base Comunitária: Ferramentas para um planejamento responsável. Brasília: WWF Brasil, 2003.

LECHNER, L. Planejamento, implantação e manejo de trilhas em unidades de conservação. Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. Cadernos de Conservação, ano 3, n.3, junho. 2006.