Disciplina: Tópicos Especiais: Populações tradicionais, práticas territoriais e sustentabilidade

Carga Horária: 60 horas - Número de créditos: 4

Ementa: 

Importância do Extrativismo e Racionalidade Camponesa no Processo de Antropização do Espaço; Populações tradicionais, cultura e identidade. Diversidade e Cultura Contra-Hegemônica. Racionalidade das Populações Tradicionais Contemporâneas. Lógica de Produção e Reprodução das Populações Tradicionais e dinâmica da formação da sociedade nacional e regional. Novas territorialidades culturais e identidades.. Dinâmicas sociais e econômicas.


OBJETIVOS
Geral:
• Propiciar aos discentes o debate sobre as questões das populações tradicionais e suas práticas territoriais (modos de vida, culturas, concepções de mundo) na perspectiva geográfica de conhecer as mudanças e permanências nas territorialidades e sustentabilidades.

Específicos:
• Oferecer ao discente uma visão das questões sobre o contexto histórico-geográfico e dos modos de vida das populações tradicionais (ribeirinhos, extrativistas, etc.) em suas relações de territorialidades e sustentabilidades;
• Realizar um paralelo reverso com os fenômenos culturais, antropológicos e geográficos atuais e os diferentes conceitos elaborados pelos pensadores da temática;
• Prover referências conceituais, teóricas e bibliográficas visando estudos mais aprofundados.


REFERÊNCIAS

ADAMS, C.; MURRIETA, R. & NEVES, W. Sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2006.

ALMEIDA SILVA, Adnilson de. Territorialidades e identidade do coletivo Kawahib da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Rondônia: “Orevaki Are” (reencontro) dos “marcadores territoriais”. Tese de Doutorado em Geografia. Curitiba: SCT/DG/PPG/UFPR, 2010. 301 p.

AMARAL, J.J.O; LEANDRO, E.L. (Orgs.). Amazônia e Cenários Indígenas. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BECKER.B.K.  Amazônia: geopolítica na virada do III milênio. Rio de Janeiro: Garamon, 2004.

BECKER.B.K. Geopolítica da Amazônia: a nova fronteira de recursos.  Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1982.

BEGON, M.; HARPER, J.L. & TOWNSEND, C.R. Ecology: Individuals, populations and communities. Blackwell, Oxford, 1987.

CAMPBELL,C.(et al). Out on the front lines but still struggling for voice: womem in the rubber tapper’s defense of the forest in Xapuri. In:

ROCHELEU, D.; THOMAS-SLAYTER,B.;WANGARU,E.(Ed.). Feminist political ecology. London: Routledge, 1996, p. 27-61.

CASSIRER, E. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. São Paulo: Martins Fontes, 1994 [1944].

HARDIN, Garret. The tragedy of the commons. Science, 162: 1243-1248. 1968.

HOLLING, C. S, BERKES, Fikret & FOLKE, Carl. Science, sustainability and resource management. In: BERKES, Fikret, FOLKE, Carl & COLDING, Johan. Linking social and ecological systems. Cambridge University Press, 1996. p.342-361.